Defesa Civil atualiza Plano de Contingência para atuar durante as chuvas de verão

A Secretaria de Defesa Civil e Ordem Urbana de Belford Roxo realizou esta semana reunião de prevenção a alagamentos.  O evento contou com a participação de representantes de diversas Secretarias que fazem parte do Plano de Contingência da Defesa Civil para enfrentar deslizamentos, enxurradas e inundações provocadas pelas chuvas de verão. No município, diversos bairros estão em área de risco, destacando-se Parque Amorim, Xavantes, Nova Aurora, Vale do Ipê e Babi, entre outros. O Plano de Contingência é atualizado periodicamente pela Defesa Civil.

O secretário municipal de Defesa Civil e Ordem Urbana, Robenilson Vasques Fernandes, explicou que áreas próximas aos rios e canais vivem em estado de alerta por causa das fortes chuvas que começam a cair em novembro e intensificando-se em dezembro e janeiro, quando as pancadas de chuva aumentam.

Em breve, a Defesa Civil municipal irá ganhar mais um reforço: uma estação de radioamador. O equipamento será importante, pois, muitas vezes, em épocas de fortes chuvas os telefones não funcionam. “Já estamos capacitando o pessoal que irá operar com o PX (sistema de comunicação  individual de curta distância via rádio) e já solicitamos à Defesa Civil nacional a implantação de uma torre. Isso irá agilizar ainda mais os nossos trabalhos”, finalizou o chefe da Divisão de Planejamento,  Roberto Ricardo, acrescentando que a Defesa Civil de Belford Roxo conta com 92 homens para atuar em possíveis desastres, além de cinco viaturas.

Roberto Ricardo enfatizou ainda que é importante a participação de todas as Secretarias para que o Plano de Contingência funcione perfeitamente. Em casos de fortes chuvas, por exemplo, é importante contactar rapidamente os responsáveis pelas Secretarias de Saúde, Obras, Conservação, Assistência Social e Cidadania, entre outras, acrescentando que o tipo de desastre mais comum em Belford Roxo é alagamento.

Centro de Monitoramento

A Defesa Civil de Belford Roxo conta com o Centro de Monitoramento e Gerenciamento de Risco. O município é o único da Baixada Fluminense a ter sua própria Estação Meteorológica, capaz de acompanhar, em tempo real, as condições climáticas da cidade. O órgão monitora toda a cidade durante 24 horas. Uma das câmeras fica na Rua Mauá, em São Bernardo, próxima ao Rio Botas.

O município conta atualmente com oito pluviômetros (aparelhos de meteorologia usados para recolher e medir, em milímetros lineares, a quantidade de líquidos ou sólidos (chuva, neve, granizo) durante um determinado tempo e local). Eles estão instalados nos seguintes bairros: Santa Emília, Santa Amélia, Santa Rita, Nova Aurora, Vila Pauline, Santa Amélia (sede da Defesa Civil), Parque Fluminense e Parque Amorim).

 

Check Also

Veja lista de postos de vacinação

One comment

  1. A Prefeitura nem a serla a tempo não faz a limpeza do rio botas, tem alguma previsão para efetuarem a limpeza e dragagem, pois dependendo do volume das chuvas a chance de transbordamento é alta.
    grande parte do rio esta assoreada. e com bastante matos.

    tem alguma previsão sobre essa manuntencao.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *