Defesa Civil atualiza Plano de Contingência para atuar durante as chuvas de verão

A Secretaria de Defesa Civil e Ordem Urbana de Belford Roxo realizou esta semana reunião de prevenção a alagamentos.  O evento contou com a participação de representantes de diversas Secretarias que fazem parte do Plano de Contingência da Defesa Civil para enfrentar deslizamentos, enxurradas e inundações provocadas pelas chuvas de verão. No município, diversos bairros estão em área de risco, destacando-se Parque Amorim, Xavantes, Nova Aurora, Vale do Ipê e Babi, entre outros. O Plano de Contingência é atualizado periodicamente pela Defesa Civil.

O secretário municipal de Defesa Civil e Ordem Urbana, Robenilson Vasques Fernandes, explicou que áreas próximas aos rios e canais vivem em estado de alerta por causa das fortes chuvas que começam a cair em novembro e intensificando-se em dezembro e janeiro, quando as pancadas de chuva aumentam.

Em breve, a Defesa Civil municipal irá ganhar mais um reforço: uma estação de radioamador. O equipamento será importante, pois, muitas vezes, em épocas de fortes chuvas os telefones não funcionam. “Já estamos capacitando o pessoal que irá operar com o PX (sistema de comunicação  individual de curta distância via rádio) e já solicitamos à Defesa Civil nacional a implantação de uma torre. Isso irá agilizar ainda mais os nossos trabalhos”, finalizou o chefe da Divisão de Planejamento,  Roberto Ricardo, acrescentando que a Defesa Civil de Belford Roxo conta com 92 homens para atuar em possíveis desastres, além de cinco viaturas.

Roberto Ricardo enfatizou ainda que é importante a participação de todas as Secretarias para que o Plano de Contingência funcione perfeitamente. Em casos de fortes chuvas, por exemplo, é importante contactar rapidamente os responsáveis pelas Secretarias de Saúde, Obras, Conservação, Assistência Social e Cidadania, entre outras, acrescentando que o tipo de desastre mais comum em Belford Roxo é alagamento.

Centro de Monitoramento

A Defesa Civil de Belford Roxo conta com o Centro de Monitoramento e Gerenciamento de Risco. O município é o único da Baixada Fluminense a ter sua própria Estação Meteorológica, capaz de acompanhar, em tempo real, as condições climáticas da cidade. O órgão monitora toda a cidade durante 24 horas. Uma das câmeras fica na Rua Mauá, em São Bernardo, próxima ao Rio Botas.

O município conta atualmente com oito pluviômetros (aparelhos de meteorologia usados para recolher e medir, em milímetros lineares, a quantidade de líquidos ou sólidos (chuva, neve, granizo) durante um determinado tempo e local). Eles estão instalados nos seguintes bairros: Santa Emília, Santa Amélia, Santa Rita, Nova Aurora, Vila Pauline, Santa Amélia (sede da Defesa Civil), Parque Fluminense e Parque Amorim).

 

Veja também

Danilo Caymmi interpreta seus sucessos na Casa da Cultura de Belford Roxo

Bahia cantada em verso e prosa. Assim foi marcada a segunda-feira do público na Casa …

One comment

  1. A Prefeitura nem a serla a tempo não faz a limpeza do rio botas, tem alguma previsão para efetuarem a limpeza e dragagem, pois dependendo do volume das chuvas a chance de transbordamento é alta.
    grande parte do rio esta assoreada. e com bastante matos.

    tem alguma previsão sobre essa manuntencao.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support